Inteligência Artificial aumenta resultados das Universidades

Modelo de Ensino muda análise de algorítimos e novos cursos surgem

Com uma família atuando mais de 50 anos na área educacional, vejo o quanto é difícil manter as receitas das instituições saudáveis, principalmente no Brasil, onde o sentido de “urgência de viver o agora” sem planejar o futuro, o consumo por impulso dos jovens e uma economia instável, transforma as instituições de ensino nas maiores empresas com “clientes” inadimplentes.

Enxergando as universidades unicamente como empresas, não tem como deixar de falar que umas das premissas para o sucesso financeiro é o fluxo de caixa, sem ele as empresas são obrigadas a cortarem custos, demitir funcionários e investirem cada menos em tecnologia, isso todos nós já sabemos, mas como mudar esse cenário proveniente de vários fatores indiretos às instituições.

Algumas universidades europeias e outras de países em desenvolvimento estão utilizando de dados para gerar Inteligência Artificial e consequentemente mapear perfis de cada aluno para aumentar e acelerar sua empregabilidade, outro fator que vem sendo trabalhado é a busca das necessidades e carências educacionais de cada estudante, podendo até ser conflitado com o perfil da base familiar ou fatores como, distância e experiência nas disciplinas versus aulas similares em outros formatos

Os números da inadimplência nacional ultrapassam os 9% segundo dados da SEMESP, índice maior que a que recebe o varejo brasileiro, cerca de 5%, um exemplo simples da gravidade do buraco financeiro das universidades.

Com aplicação de pesquisas e a introdução dos processos de Inteligência Artificial é possível ter receitas saudáveis e ter alunos com prioridades diferentes, basta que a atenção seja direcionada para suas principais dores e assim, em um prazo menor do que 3 anos, as universidades poderão ter números menores de inadimplentes.

A Key Business Inteligência e Pesquisa, criou mais de 60 modelos e métricas para que as universidades tenham fluxo em dia e alunos por mais tempo. Conheça mais sobre o assunto clicando aqui.

There are no comments published yet.

Leave a Comment